fbpx

Guia de matérias concurso PF 2021

Antes de tudo, como estão os seus estudos das matérias do concurso PF, futuro servidor?

Das 1.500 vagas divulgadas no edital, uma maioria de 893 são para o cargo de agente. A carreira é a maior demanda da corporação. Além disso, é o sonho de muitos futuros servidores que têm como meta serem aprovados na Polícia Federal.

Para concorrer, é necessário graduação em qualquer área ou curso de tecnólogo mais Carteira Nacional de Habilitação na categoria B ou superior. Também chama muito a atenção a remuneração de R$12.980,50, já somado o auxílio-alimentação de R$458.

Além das 893 vagas, a corporação espera contar com 1.191 novos agentes de polícia.

No entanto, entre o sonho até a nomeação, surge um obstáculo: as etapas do concurso. A primeira delas, a prova escrita, já coloca medo em muitos candidatos. Mesmo quem já estuda há anos para o concurso, fica mais nervoso na reta final.

Em virtude disso, conversamos com os professoras da Folha Cursos sobre todas as matérias do edital, além do TAF. Se você está na dúvida de como estudar as matérias do concurso PF nos próximos dias, este post é para você!

Contabilidade para a PF

Segundo o professor da Folha Cursos, Eugênio Montoto, das 120 questões presentes na prova, 24 são de Contabilidade. Junto às 36 de Informática, as duas formam metade da prova. Ou seja, é preciso dar muita atenção para essas duas matérias do concurso PF.

Na prova de 2009, em que foram cobradas nove questões de Contabilidade, elas foram divididas da seguinte forma:

  • Escrituração: quatro questões
  • Exaustão: uma questão
  • Operações com mercadorias: uma questão
  • BP: uma questão
  • DRE: uma questão
  • DFC: uma questão

Já na prova de 2012, as 11 questões de Contabilidade se dividiram da seguinte forma:

  • Escrituração: três questões
  • Princípios: duas questões
  • Provisão: uma questão
  • DRE: duas questões
  • BP: uma questão
  • Amortização: uma questão
  • Ágio: uma questão

Portanto, a Escrituração é um assunto que merece destaque nos estudos. O professor Eugênio o considera o mais importante. A porcentagem dos assuntos cobrados na prova de 2018 foi a seguinte:

  • Introdução à Contabilidade: 12,5%
  • Escrituração: 37,5%
  • Patrimônio e Resultado: 16,67%
  • Operações Financeiras : 4, 17%
  • Operações com Mercadorias: 4,17%
  • Depreciação: 4,17%
  • BP/DRE: 12,5%
  • Estrutura Conceitual: 8, 33%

Qual a melhor forma de estudar Contabilidade para a PF?

Primeiramente, a melhor forma de estudar é com materiais objetivos e diretos. Por exemplo, no curso da Folha Cursos, metade do conteúdo do último edital está em 15 aulas de um total de 44. Segundo o professor, as aulas dão a capacidade de gabaritar a prova.

Outra dica dele é ir direto à pergunta da questão. “Muita gente acha que porque tem número, Contabilidade é ciência exata”, afirma o professor. Sob esse ponto de vista, ele considera uma ciência social.

Nesse sentido, para passar, o único jeito é estudar. Ele não considera que tenham macetes ou jeitos “mirabolantes”.

Além disso, ele lembra que muitas das matérias do concurso PF também aparecem na prova da PRF.

Contabilidade para PF

Língua Portuguesa para a PF

Antes de tudo, a professora Luciane Sartori lembra que metade das questões da prova têm como resposta Certo e a outra metade Errado. Isso pode ajudar bastante na hora do exame, porque o candidato pode fazer um controle de quantas já foram marcadas como certas e quantas como erradas.

Quantos ao conteúdo programático, os tópicos são os seguintes:

  • Compreensão e interpretação de gêneros variados
  • Reconhecimento e tipos de gêneros textuais
  • Domínio da ortografia oficial
  • Mecanismos de coesão textual (Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual e Emprego de tempos e modos verbais)
  • Estrutura morfossintática do período (Emprego das classes de palavras, Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração, Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração, Emprego dos sinais de pontuação, Concordância verbal e nominal, Regência verbal e nominal, Emprego do sinal indicativo de crase e Colocação dos pronomes átonos)
  • Reescrita de frases e parágrafos do texto (Significação das palavras, Substituição de palavras ou de trechos de texto, Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto e Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade
  • Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República) (Aspectos gerais da redação oficial, Finalidade dos expedientes oficiais, Adequação da linguagem ao tipo de documento e Adequação do formato do texto ao gênero)

Qual a melhor forma de estudar Língua Portuguesa para a PF?

Primeiramente, a estratégia de controlar quantas questões foram marcadas como certas e quantas como erradas, já pode ser usada durante a resolução dos simulados.

Inclusive, fazer simulados é algo essencial nos estudos para concurso. A professora compara a se preparar para uma maratona: como o maratonista poderia percorrer um percurso no qual nunca treinou antes?

Portanto, a primeira estratégia é fazer simulados e conhecer as questões da prova.

Em seguida, o planejamento também é fundamental. Por exemplo, você deve saber a quantidade de matérias que deve estudar, dentro dos dias da semana e do tempo disponível nesses dias.

Além disso, ela alerta para não deixar de incluir Português pelo menos três vezes na semana em sua rotina.

Quem se prepara para Polícia, acaba dando muita importância para os Direitos e deixando Português e Raciocínio Lógico de lado, afirma.

Portanto, você deve ir na direção contrária ao que a maioria faz. Sobretudo em Língua Portuguesa, destacam-se aqueles que conseguem se sair bem na matéria. Em resumo, ela recomenda deixar também os fins de semana para a revisão no sábado e os simulados no domingo.

Na hora do estudo, você não deve ficar muito feliz ou triste por ter acertado ou errado muitas questões. No momento, o que importa é: por que você acertou? Por que você errou? É a compreensão da questão que fará a diferença.

Língua Portuguesa para PF

Noções de Direito Constitucional para a PF

Segundo o professor André Ravani, há um diferencial nas questões de Direito de certo ou errado: diferentemente de uma prova de múltipla escolha, não dá para comparar todas as alternativas até chegar à correta.

Portanto, parte do pressuposto que você conhece o conteúdo na hora de responder. Aqui, errar uma questão também elimina uma certa. Em virtude disso, se você não souber, pode ser melhor pular.

Nesse sentido, o examinador está muito mais focado, no caso do Direito Constitucional, em cobrar questões que envolvem o texto da Constituição.

Sobre os conteúdos, ele lista:

  • Direitos e garantias fundamentais (5º ao 17º): Artigo 5º, Direitos sociais, Nacionalidade, Cidadania e direitos políticos, Partidos políticos, Garantias dos direitos individuais, sociais e coletivas
  • Poder Executivo (76º a 91º): forma e sistema de governo e Chefia de Estado e Chefia de Governo
  • Defesa do Estado e das Instituições Democráticas (136º a 144º): Segurança Pública e Organização da
  • Segurança Pública
  • Ordem social (193º a 232º): Base e objetivos da ordem social, Seguridade social, Meio ambiente, Família, criança, adolescente e idoso e índio

Na prova de 2009, os tópicos foram distribuídos assim:

  • Direitos e garantias fundamentais: duas questões (40%)
  • Poder Executivo: nenhuma questão (0%)
  • Defesa do Estados e das Instituições Democráticas: duas questões (40%)
  • Ordem social: uma questão (20%)

Já na prova de agente de 2012, os assuntos apareceram da seguinte forma:

  • Direitos e garantias fundamentais: duas questões (40%)
  • Poder Executivo: uma questão (20%)
  • Defesa do Estados e das Instituições Democráticas: duas questões (40%)
  • Ordem social: nenhuma questão (0%)

O professor destaca que os temas mais exigidos são Segurança Pública e também a parte de Direitos e garantias fundamentais.

Qual a melhor forma de estudar Noções de Direito Constitucional para a PF?

Antes de tudo, é preciso “carregar a Constituição embaixo do braço”. No entanto, o professor André atenta que isso não significa decorar a Constituição, mas sim estar atento aos pontos que são mencionados no edital.

Apesar de nunca garantir 100% de exatidão, também é aconselhável conferir o que foi cobrado nas últimas provas para assim ter um direcionamento de estudo. Ou seja, é o mesmo planejamento estratégico comentado pela professora Luciane, de Língua Portuguesa.

“Não adianta você começar a estudar todos os conteúdos sem estratégia”, afirma. “Você tem que concentrar esforços de maneira estruturada e estratégica.”

Em síntese, é fundamental consultar o texto da Constituição e fazer muitas questões de prova.

Constitucional para PF

Noções de Direito Penal e Processual Penal para a PF

Segundo o professor Paulo Sumariva, a matéria é essencial não só para a prova, como também para a atividade do policial federal. Ele destaca ainda que, como o edital fala em noções, a prova não entra em aspectos como as súmulas e decisões do STJ e do STF.

Segundo o edital, os conteúdos que podem ser cobrados são:

  • Princípios básicos
  • Aplicação da lei penal (A lei penal no tempo e no espaço, Tempo e lugar do crime e Territorialidade e extraterritorialidade da lei penal)
  • O fato típico e seus elementos (Crime consumado e tentado, Ilicitude e causas de exclusão e Excesso punível)
  • Crimes contra a pessoa; patrimônio; fé pública e Administração Pública
  • Inquérito policial (Histórico, natureza, conceito, finalidade, características, fundamento, titularidade, grau de cognição, valor probatório, formas de instauração, notitia criminis, delatio criminis, procedimentos investigativos, indiciamento, garantias do investigado; conclusão)
  • Prova (Preservação de local de crime, Requisitos e ônus da prova, Nulidade da prova, Documentos de prova, Reconhecimento de pessoas e coisas, Acareação, Indícios, Busca e apreensão)
  • Restrição de liberdade (Prisão em flagrante)

A princípio, o assunto que mais cai em prova é “O fato típico e os seus elementos”. Ou seja, a teoria geral do crime. Por exemplo, aqui a teoria causal pode ser cobrada.

Além disso, ele também destaca as causas de exclusão, que transformam o fato típico em um não criminoso. São elas:

  • Legítima defesa
  • Estado de necessidade
  • Estrito cumprimento do dever legal
  • Exercício regular do Direito

Também é importante ressaltar que o pacote anti-crime mudou alguns detalhes sobre a questão da legítima defesa.

Na parte de Processual Penal, ele destaca a importância de Inquérito policial, visto que esta é a ação fim do agente da PF. Na disciplina, também é importante estar atento às mudanças feitas pelo pacote anti-crime.

Qual a melhor forma de estudar Noções de Direito Penal e Processual Penal para a PF?

O professor considera que dá tempo de estudar para a prova em dois meses, com uma preparação correta e direcionada.

Justamente por tratar da atividade fim do agente, Paulo Sumariva destaca a disciplina como de grande importância. Também acrescenta que é provável que tenham muitas questões ligadas ao pacote anti-crime.

Penal e Processual Penal para PF

Legislação Especial para a PF

De antemão, o professor da Folha Cursos e delegado federal, Rafael Dantas, afirma que o candidato deve estudar Legislação Penal Especial com o enfoque do concurso e da profissão.

Dessa forma, ele recomenda o estudo da Lei de Abuso de Autoridade (Lei 13.869/19). Justamente por ser relativamente recente, o examinador pode querer testar o quão atualizados estão os estudos.

Depois dela, passe a estudar a Lei de Tortura, a de nº 9.455/97, em especial, no que diz respeito à tortura imprópria.

Além disso, dê atenção especial à Lei de Drogas, com destaque na diferenciação entre posse para uso pessoal e tráfico. Quanto à Lei de Armas, procure diferenciar os crimes de posse e de porte ilegal, com atenção às figuras assemelhadas.

No tocante ao Estatuto da Criança e do Adolescente, enfatize os crimes afetos ao abuso da sexualidade infantil e juvenil. Ou seja, aspectos da pedofilia.

Com relação aos crimes ambientais, veja onde e quando há a atuação federal e, por consequência, da Polícia Federal.

Também aproveitando esse gancho, observe as atribuições específicas da Polícia Federal, conforme a Lei 10.446/02, quais são e quando há a necessidade de ordem do Ministro da Justiça para ação.

Qual a melhor forma de estudar Legislação Especial para a PF?

Os temas recomendados pelo professor têm algo em comum: estão relacionados principalmente à conduta do policial como profissional. Consequentemente, já durante os estudos, o futuro servidor deve perguntar-se: o que um policial não pode fazer, jamais?

A resposta é: um bom policial jamais pode abusar de sua autoridade e jamais pode sequer pensar em torturar, responde o delegado federal.

A resposta dela ajudará a diferenciar o bom do mau policial ainda durante a primeira fase do concurso. Por consequência, ver isso refletido nas respostas do candidato será crucial para a banca decidir quem está apto a ser classificado para a próxima fase.

Resumindo, já tenha isso em mente durante os seus estudos.

Legislação Especial PF

Raciocínio Lógico para a PF

Segundo o professor da Folha Cursos, Angelo Primo, olhar os temas que caíram em 2018 é uma boa forma de lustrar a bola de cristal que ainda é a prova de 2021. No último concurso, foram dez questões concentradas em dois blocos: Estudo das Proposições e Diagramas.

Em resumo, esses dois temas cobriram 95% do edital. “Como o edital do Raciocínio Lógico foi o mesmo que o de concursos anteriores, o candidato não foi pego de calças curta, como diria a minha avó”, brinca o professor.

De forma que os seis primeiros itens de Raciocínio Lógico tratavam dos tópicos Lógica e Lógica Sentencial (ou Proposicional), apostar nessa mesma distribuição pode ser uma boa para a próxima prova.

Essas questões tratavam da identificação, representação, valoração, classificação e equivalência de proposição. Os itens foram construídos sobre uma única situação problema. Isso ajuda pois não é necessário ficar se familiarizando com um novo contexto.

No entanto, ficou de fora da prova temas como Leis de Morgan e Estruturas Lógicas. O primeiro, pelo menos as leis mais simples, os candidatos dominam bem.

Já o segundo, o professor considera um tema estranho, pois pode envolver temas da Lógica das Situações, como associação lógica e correlacionamento lógico.

O tema verdades e mentiras são tratados como uma forma de argumentação pelo Cebraspe. Portanto, não se assuste se ele aparecer!

Também esteve ausente o tema Lógica de Primeira Ordem. Apesar de aparecer pouco nas provas, pode surpreender nessa.

Da mesma maneira, os outros quatro itens da última prova também usavam um único contexto. Em suma, três tratavam de princípios de contagem e um de probabilidade.

Qual a melhor forma de estudar Raciocínio Lógico para a PF?

O professor explica que, antes de constar Estatística no edital, havia apenas Raciocínio Lógico. Portanto, parece que probabilidade continuará aparecendo no conteúdo programático de RLM.

Os outros três itens tratam dos princípios de contagem. Um item era sobre o princípio multiplicativo. Lembrando que o princípio multiplicativo é a base da análise combinatória, logo, cuidado com os assuntos arranjo, combinação e permutação.

Os outros dois itens envolviam o princípio aditivo, sendo que um deles era sobre análise qualitativa.

Por fim, cuidado com Casa dos Pombos. Afinal, também é um princípio de contagem.

Dos dez itens que caíram na última prova, o professor acredita que pelo menos oito deles poderiam ser feitos com facilidade pelo futuro servidor. Também crê que essa combinação de questões será mantida.

RLM para PF

Estatística para a PF

O professor Angelo Primo considera Estatística uma surpresa no edital. Afinal, ela não aparecia nas matérias do penúltimo concurso PF para agente e escrivão. Apesar do edital conter poucos tópicos – cinco, ao todo -, são muitos subitens.

No último concurso, Estatística também agrupou as questões em três situações problemas.

Na primeira parte, havia uma questão sobre distribuição de probabilidades discreta e três sobre estimativas, sendo que uma delas também envolvia distribuição de probabilidades discreta. O professor crê que ambos os assuntos podem aparecer de novo.

No entanto, ele alerta para ter cuidado com a parte conceitual desses temas,

Três itens da prova foram sobre o tópico quatro do edital, Análise de regressão linear. Apesar de um pouco complicado, é a nova menina dos olhos da Cebraspe. Ainda que as questões não fosse difíceis, exigiam muito conhecimento teórico do candidato.

Por fim, os outros três itens tratavam a distribuição normal, que é uma distribuição contínua. Ambos os temas ainda não foram esgotados.

“Senti falta do item um, mamão com açúcar, sobre a estatística descritiva, os gráficos e as tabelas”, destaca ainda Angelo Primo. “Esse tópico naturalmente precisa ser estudado.”

Qual a melhor forma de estudar Estatística para a PF?

De antemão, com base nos assuntos da prova anterior, o professor recomenda fazer uma triagem do que ainda pode aparecer.

Sobre estatística descritiva, gráfico e tabelas, não basta conhecer só os cálculos, mas também trabalhar a percepção, combinando o visual e a análise do que se vê. Afinal, é a linha que a Cebraspe costuma trabalhar.

Dos dez itens cobrados em Estatística, cinco foram mais tranquilo, três médios e dois trabalhosos.

Lembre-se que entre raciocínio lógico e estatística estão em jogo 20 pontos. Nessa altura do campeonato, seria ideal uma análise do que você pretende fazer com esses 20 pontos, alerta o professor de ambas as disciplinas.

Estatística PF

Informática para a PF

“Como o edital de informática para a Polícia Federal é monstruoso, fica a pergunta na cabeça do candidato. O que realmente eu preciso estudar e como posso fazer isso?”, diz o professor da Folha Cursos Eduardo Benjamin.

Segundo ele, ao pensar na relevância dos assuntos cobrados, destaca-se rede de computadores. Isso porque, na última prova, este foi o tema de sete questões. Ou seja, ⅕ da prova.

Em seguida, com quatro questões, 12% da prova foi sobre internet. Ao subentender que internet também está dentro de rede de computadores, podemos concluir que 33% do exame girou em torno desse assunto.

Além disso, o especialista recomenda atenção à segurança da informação, Windows, Linux e às suítes office: Windows e LibreOffice. Essa parte ele chama de informática tradicional. Em outras palavras, conhecimentos que serão fundamentais no dia a dia do servidor público.

Por outro lado, no edital também consta a informática mais conceitual e pesada, chamada pelo professor Eduardo de informática mais voltada para TI (Tecnologia da Informação).

Para esse tópico, o candidato precisa estudar Sistemas de Informação e Banco de Dados. Na última prova, cada um desses temas tiveram três perguntas.

Também estude assuntos conceituais como TGI (Teoria Geral da Informação) e TGS (Teoria Geral de Sistemas).

Juntamente, sobre Cloud computing estude as camadas de rede:

  • SaaS
  • PaaS
  • IaaS

Por fim, fiquei de olho em conceitos básicos de programação para as linguagens Python e R, como estrutura de:

  • Sequência
  • Seleção e estruturas
  • Repetição

Qual a melhor forma de estudar Informática para a PF?

Nessa reta final, o professor recomenda atenção a forma como você utiliza seu computador no cotidiano. Consequentemente, pratique o Windows, o Painel de Controle, a navegação pela internet. Como resultado disso, tenha atenção também a cada botão, a cada janela que se abre.

Além disso, pratique com os editores de texto, planilhas eletrônicas e softwares de apresentação. Portanto, use, treine e pratique esta informática básica.

Informática para PF

Noções de Direito Administrativo para a PF

Primeiramente, o professor da Folha Cursos Igor Daltro reforça que apenas um tema se repetiu nas últimas provas: Organização Administrativa. Portanto, além do tema, ele reforça a necessidade do estudo da lei 8.112/90 e Poderes da Administração.

Em Organização Administrativa, sobressai o tópico “características da Administração Pública Indireta”. Já em relação aos Poderes da Administração, Poder de Polícia e Poder Disciplinar são de predileção da banca Cebraspe.

Além desses assuntos, ele também recomenda atenção a parte do Direito Constitucional. Mais especificamente, o capítulo da Administração Pública da Constituição – artigos 37 à 41. Principalmente o 37. Eles são habitualmente estudados com os materiais e professores de Direito Administrativo.

Qual a melhor forma de estudar Noções de Direito Administrativo para a PF?

Antes de tudo, o professor alerta que a banca Cebraspe costuma, historicamente, afastar-se da literalidade da lei exige do candidato absoluta atenção na assertiva proposta e conhecimento da disciplina.

Por consequência, aprofunda os temas nas questões da PF com a exigência de conhecimentos acerca de entendimentos jurisprudenciais. Portanto, atenção as mais recentes jurisprudências do STF e STJ.

Nesse contexto, a preparação na reta final exige:

  • Assertividade
  • Precisão
  • Bom rendimento nos estudos

Inúmeros pontos são obtidos em concursos públicos a partir de uma preparação em alto nível no sprint final, destaca Igor Daltro.

Nesse sentido, ele recomenda que o candidato resolva muitos exercícios. Além disso, mantenha-se atento aos entendimentos mais recentes do STF e do STJ.

Direito Administrativo PF

Redação para o concurso PF

A professora Vivian Barros considera o Cebraspe uma banca mãe em termos de redação, porque ela já traz os tópicos que quer que sejam abordados no texto. Portanto, ela vê o texto como predominantemente expositivo. Em síntese, o foco do examinador é o conteúdo.

Diferente de um texto argumentativo, você não precisa defender o seu ponto de vista. Por consequência, a estrutura é mais tranquila.

A prova é composta de textos motivadores, o tema proposto (geralmente em negrito) e os tópicos que o examinador quer que sejam abordados.

A dica da professora Vivian é já começar a prova já falando do item 1. No caso da banca Cebraspe, ela não recomenda começar com uma introdução. Se ainda assim você sentir vontade de um parágrafo introdutório, não ultrapasse três linhas.

O texto também precisa ser escrito na ordem dos tópicos. Caso ache necessário, não tem problema usar mais de um parágrafo para um determinado tópico.

No entanto, nunca use primeira pessoa do singular ou do plural, assim como palavras estrangeiras – apenas quando não houver um equivalente em português. Já em relação à letra de forma, não há problema em usá-la.

Desses tópicos, saem 90% da sua nota. Os outros 10% vem da apresentação. A prova é avaliada levando em consideração os seguintes aspectos:

  • Eixo 1: aspecto macroestrutural (apresentação, 10% da nota, e desenvolvimento do tema)
  • Eixo 2: aspecto microestrutura (ortografia e correção gramatical)

Qual é a melhor forma de estudar redação para PF?

Uma grande dúvida dos candidatos é quais são os temas possíveis para a prova. Para os temas que ela considera possíveis, ela recomenda estar sempre de olho no site da Polícia Federal. Ela também aconselha consultar o site Âmbito Jurídico, de onde saiu o último tema.

É como se fosse uma entrevista de emprego. Mas em vez de passar pela entrevista, você está escrevendo um texto. Por isso, é importante demonstrar que você está por dentro das ações da instituição.

Vivian Barros acredita que a seguinte estrutura de texto possa ajudar:

  • Breve introdução
  • Um aspecto = um parágrafo
  • Períodos/frases de média extensão
  • Períodos na ordem direta

“Objetividade é a palavra-chave do Cespe”, ela avalia. “O seu texto precisa estar estruturado de forma objetiva.” A qualidade do seu texto deve vir das suas informações. Uma estrutura mais simples do texto acarretará em mais clareza.

Lembrando que não precisa numerar o seu texto para indicar ao avaliador de qual tópico você está falando. Em vez disso, use conectivos em vez de “quanto ao item 1”, por exemplo. Retome o comando da questão sempre textualmente.

Ah, e não esqueça de treinar já com a caneta preta! Cuide sempre também da legibilidade e cuidado para a rasura, quando necessária, não poluir o seu texto. O ideal é sempre riscar uma linha em cima da palavra errado e escrever a certa do lado. Também nunca escreva menos parágrafos do que a quantidade de tópicos.

Temas de Redação para a PF

Não tem como garantir que esses temas serão cobrados na prova. No entanto, ler sobre eles pode ajudar a ganhar confiança. Além de acrescentar positivamente na preparação. Segundo Vivian Barros, são os detalhes que fazem a diferença.

De acordo com a professora, muitos alunos dizem não saber escrever uma boa redação. Todavia, o que ela percebe é que eles sabem redigir um texto e estão por dentro das regras gramaticais.

Em resumo, o problema é que não estão por dentro de temas e assuntos que possam cair na PF.

Em outras palavras, o que falta é informação para construir a redação. Nesse sentido, por isso é tão importante ler e procurar conteúdos sobre os temas possíveis.

Como é calculada a nota da Redação da Polícia Federal?

Antes de tudo, a nota da prova se dá da seguinte forma:

NPD = NC – 2 x NE/TL

Ou seja, a Nota da prova discursiva (NPD) é a Nota de Conteúdo (NC) menos duas vezes o Número de Erros (NE), tudo isso dividido pelo Total de Linhas (TL).

Já sobre os temas que considera possíveis, a professora Vivian os dividiu em blocos. Para o Bloco 1, ela aposta em:

  • Feminicídio e a atuação da Polícia Federal no combate à violência contra a mulher
  • Tecnologia x Segurança Pública
    Imagens de vigilância, reconhecimento facial e a LGPD.
    Exemplo: Polícia Federal vai usar mais de 100 drones para combater irregularidades nas eleições de 2020.
  • O colapso do sistema penitenciário brasileiro
  • A Polícia Federal e o combate à corrupção
  • Polícia Federal e a justiça nacional

Já para o Bloco 2, ela considera temas como:

  • Pandemia – direitos fundamentais durante a pandemia
  • A atuação da Polícia Federal no combate ao tráfico de drogas (nacional e internacional)
  • Atuação da Polícia Federal no combate aos crimes contra o meio ambiente
  • Polícia Federal x defesa das fronteiras
  • Racismo

Nesse contexto, ela destaca que é muito importante o futuro servidor demonstrar que está por dentro de como o órgão atua. Dessa forma, mostrar que sabe qual a função da Polícia Federal faz com que o examinador perceba que o candidato está pronto para ser um agente.

“O que for fácil pode não se tornar fácil se você não for bem preparado para a prova”, ressalta Vivian Barros. Portanto, não vá para o exame pensando que na hora saberá o que escrever. Por fim, esteja bem preparado!

Redação para PF

TAF para o concurso PF

Segundo o professor Elon Júnior, o candidato precisa treinar a parte física, emocional e estratégica. “A gente observa diversas lacunas no edital e também alguns equívocos nas avaliações”, avalia.

Além disso, quebra-se o princípio da isonomia em alguns estados na hora da aplicação do exame. Por exemplo, quando a pista de salto não está adequada, com a areia muito fofa, como aconteceu no Rio de Janeiro.

Portanto, o candidato precisa estar preparado para lidar com situações inesperadas no dia. Da mesma forma, também saber avaliar se a prova está sendo aplicada nas devidas condições. Inclusive, simulados podem ser de grande ajuda para já estar adaptado à situação.

Por isso, é muito importante já começar a sua preparação para o TAF. Na PF, são cobrados:

  • Barra
  • Salto de impulsão horizontal
  • Natação
  • Corrida

Exceto na corrida, todos os testes tem uma segunda tentativa, independente de ter sido reprovado na primeira ou não.

Também é importante você já se preparar para providenciar o atestado médico. Ele te dará certeza que você está em condições de ser submetido a uma carga de treinamento para esse concurso.

Ir ao médico é muito importante para ter certeza da sua saúde e não acabar mascarando problemas. Portanto, faça uma avaliação com cardiologista e ortopedista!

Também tenha em mente que o atestado precisa ter um prazo de 15 dias. Se possível, peça que o médico descreva com clareza que você está apto não só a fazer atividade física, mas também Teste de Aptidão Física. É importante que ele tenha ainda o seu nome, o do seu médico, o CRM dele, carimbo e data.

Qual a melhor forma de se preparar para o TAF do concurso da PF?

Primeiramente, o professor Elon recomenda que o candidato evite praticar esporte de contato, por exemplo, tão como quaisquer atividades que possam lesionar o candidato. Justamente para evitar acidentes que impossibilitem de fazer a prova. Até mesmo do sapato de salto alto ele recomenda manter distância.

A orientação do professor de educação física no seu treinamento também é muito importante. Ele vai saber regular os seus treinos e quando incluir o descanso.

Um diferencial desse edital é que, se o candidato cometer um erro, o fiscal pode encerrar a prova. Lembrando que isso vale para qualquer um dos exercícios pedidos.

TAF PF

Barra fixa

Sobretudo o tipo de pegada facilitou muito a vida do futuro servidor, Afinal, permaneceu a pegada livre. Portanto, o candidato pode fazer tanto com a palma da mão virada para o rosto quanto com o dorso.

No treinamento, é importante fazer o movimento completo sempre. Procure estender totalmente o cotovelo. Também não pode usar o galeio, muito utilizado no crossfit, para ultrapassar o queixo na barra.

Além disso, é proibido começar o exercício com joelho ou os quadris flexionados. No entanto, caso o candidato ou candidata seja muito alta, é permitido dobrar os joelhos para dar o impulso inicial.

Salto de impulsão horizontal

No salto de impulsão horizontal, você fica em uma linha demarcada, com os dois pés unidos. Quando a prova é liberada, o candidato salta para chegar até os pontos exigidos.

O professor Elon ressalta que é importante que o candidato dê impulso de forma que não perca o equilíbrio para trás. Se você consegue chegar na marcação exigida, mas se desequilibra, é a última parte do corpo que tocou o solo que conta para a sua pontuação.

No Rio de Janeiro, isso já aconteceu com muitos candidatos devido ao uso de uma areia inadequada no local de prova.

Lembrando que, ainda que você não tenha pisado na linha, só de dar um pequeno salto ou fazer qualquer preparo antes do salto, também é considerado queima.

Natação

A prova de natação é extremamente complexa. Principalmente para quem não sabe nadar. Portanto, comece já a natação!

O candidato deve permanecer na beira da piscina e mergulhar quando começar a prova. Para quem não tem o hábito de usar óculos e touca, é importante já treinar com os equipamentos para se acostumar.

Também pode tocar na borda para voltar, embora não possa demonstrar que está descansado. Ainda é proibido tocar os pés no fundo da piscina e nas boias.

A natação não tem mistério, é uma prova rápida, garante Elon Júnior.

Corrida

O grande segredo para a corrida é o condicionamento físico. O professor recomenda fazer a simulação da avaliação antes para se ter noção do quão desafiadora é a prova.

Na pista de atletismo, também há fatores psicológicos que interferem no rendimento do candidato. A ilusão é de que tem muito mais do que 400m na raia mais interna, mais próxima do campo.

Portanto, a dica de Elon Júnior é sempre correr na raia 1.

E aí, futuro servidor, já sabe como se preparar para as matérias do concurso PF 2021? Se você gostou das dicas, não pode perder as aulas dos professores na Folha Cursos!

Folha Cursos - Agente da PF

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *