fbpx

Qual a ordem para estudar as matérias em concursos?

Uma das maiores dificuldades de quem começa a estudar para concursos é saber a ordem para estudar as matérias, dúvida essa que leva até a alguns erros na preparação.

Por exemplo, querer estudar todas as matérias de uma só vez ou ainda estudar mais apenas aquelas disciplinas que têm mais afinidade.

É por isso que no Método Futuro Servidor, a recomendação é seguir a metodologia do ciclo de estudos.

O estudo por ciclos nada mais é do que listar todas as disciplinas do edital, separá-las em ciclos de três matérias, de acordo com a semelhança entre si.

Por isso existe uma ordem para estudar, pois pode influenciar até mesmo no desempenho na hora da prova.

Deixamos que o gestor Pedagógico da Folha Dirigida, professor Fabrizio Rubinstein, e o professor Leonardo Murga expliquem mais sobre a ordem para estudar as matérias de concurso.

Ah, no final desse post você ainda vai conferir o plano de estudos para três cargos dos mais desejados nos concursos 2021.

Você pode assistir à gravação do Futuro Servidor na Prática ou ler tudo até o final para descobrir.

Por que existe uma ordem para estudar as matérias de concurso?

A ordem das disciplinas faz toda a diferenças nos estudos, principalmente por dois motivos em especial:

  • Ajuda a cortar caminhos
  • Ajuda a criar interdisciplinaridade entre as matérias

Mas o que significa dizer isso?

Se você pega matérias, como Direito Administrativo e Direito Constitucional, que aparecem em muitos concursos, elas têm alguns assuntos em comum.

Tê-las próximas no ciclo de estudos também vai ajudar a perceber que elas têm tópicos iguais, como Administração Pública.

Se você já estudou o assunto em uma, já pode “cortar o caminho”, ou seja, ter o conteúdo como estudado quando chegar na outra disciplina e até mesmo um resumo já pronto.

A proximidade de matérias semelhantes vai ajudar a perceber isso e ter o assunto mais fresco na memória.

Outra vantagem é criar interdisciplinaridade. Um conteúdo pode aparecer ou exigir conhecimentos de outras disciplinas. Dessa forma, você já habitua o cérebro para perceber isso, o que tornará o momento da prova mais fácil.

Bancas grandes, como o Cebraspe e a FGV, por exemplo, já cobram essa interdisciplinaridade em suas questões, especialmente nas discursivas.

Esse processo contínuo de estudo, inclusive, vai ser essencial se você estiver estudando para mais de um cargo.

Visar mais de um concurso é o que o professor Leonardo Murga sempre indica, pois aumenta as chances de conquistar uma vaga.

Durante esse processo, criar o seu próprio material, resumos e ter a organização como aliada também facilitará na hora de reaproveitar os estudos para outras provas. E isso é essencial para aprovação a médio prazo.

Vantagens de seguir uma ordem de estudos

Em resumo, podemos pontuar os seguintes benefícios:

#1 Ter assuntos mais frescos na memória.

#2 Criar interdisciplinaridade entre tópicos que pedem conhecimento prévio de outra disciplina.

#3 Ter mais facilidade na prova ao perceber essa conexão entre assuntos.

#4 Você já terá o material de revisão pronto, caso o mesmo tópico apareça em outra disciplina. (Lembre-se da regrinha do estudo ativo, ou seja, produzir seu material de revisão enquanto estuda a teoria).

Qual a melhor ordem para estudar as matérias de concurso?

Fabrizio Rubinstein afirma que nem sempre a ordem em que as disciplinas e os tópicos de cada uma aparecem no edital é a melhor para estudar. A dica é iniciar pelas matérias de caráter jurídico.

Se no edital aparece Direito Constitucional, por exemplo, os professores orientam começar por ela. Isso porque todas as outras matérias de Direito têm algum tipo de relação com a Constituição.

A lógica do Método Futuro Servidor, que pode ser aplicada em qualquer concurso, não é entregar tudo de mão beijada, mas dar autonomia para o candidato montar sua própria rotina de estudos. Além de entender o que está fazendo.

Se ainda está confuso, vamos aos exemplos de ciclo de estudos para investigador da PC-RJ, agente e escrivão da Polícia Federal.

Ciclo de estudos para investigador da PC RJ

No último edital para investigador da Polícia Civil RJ, de 2005, foram cobradas as disciplinas:

  • Língua Portuguesa
  • Informática
  • Noções de Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • Noções de Direito Penal
  • Noções de Direito Processual Penal

Seguindo a lógica de começar por Constitucional e organizar por matérias semelhantes, os professores montaram o ciclo:

  • Bloco 1: Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo e Noções Direito Penal
  • Bloco 2: Noções de Direito Processual Penal, Língua Portuguesa e Informática

Se você reparar bem, o primeiro bloco termina com Direito Penal e o segundo começa com Direito Processual Penal.

O professor Leonardo Murga explica que é muito importante manter a relação não só dentro do bloco, mas também nas matérias entre cada um.

Essa semelhança será muito importante ao encerrar um bloco e passar para o próximo, pois continuará mantendo a interdisciplinaridade.

Ciclo de estudos para agente da PF e escrivão da PF

Nos casos de agente e escrivão da Polícia Federal, a única diferença é que o cargo de escrivão tinha Arquivologia no último edital. As matérias foram:

  • Língua Portuguesa
  • Informática
  • Raciocínio lógico
  • Estatística
  • Contabilidade
  • Direito Penal e Processo Penal
  • Legislação específica
  • Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • * Arquivologia (apenas para escrivão)

Na metodologia dos ciclos de estudos,  a ordem dos blocos ficaria da seguinte forma:

  • 1: Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Penal
  • 2: Processo penal, Legislação Específica e Português
  • 3: Arquivologia (para escrivão) e duas matérias de Cálculo (Raciocínio Lógico, Contabilidade ou Estatística)
  • 4: matéria de cálculo restante e Informática

Professor Fabrizio alerta que não é porque Informática está por último, que é menos importante. Conteúdos como Segurança da Informação têm sido muito cobrados para carreiras de Segurança Pública.

Ciclo de Estudos para concursos da PC RJ e PF

Conheça bem as matérias do seu concurso

Murga afirma que é crucial ter noção de quais matérias têm maiores pesos, dependendo do cargo.

Ainda no exemplo de Segurança Pública, disciplinas como Direito Penal costumam ter grande peso e é uma das matérias que os candidatos mais se atentam.

O futuro servidor precisa ter em mente zerar os conteúdos do edital e tomar muito cuidado para não errar questões básicas.

Leo Murga pontua que os erros dos conteúdos mais simples, costumam estar associados a três problemas:

Ainda não conhece o Método Futuro Servidor? Assista a todas as lições!

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Adriano Lobato disse:

    Ótimo conteúdo, estou começando a estudar para Pc de Ro. Muitas dúvidas , porém, com muita força de vontade de estudar.
    Gostaria que me ajudassem a organizar meus estudos. Grato.

  2. Leonardo Maia disse:

    O tópico “organização dos estudos” é uma das maiores fontes de confusão entre os alunos. Não só os iniciantes, os experientes também. Parabéns pelo conteúdo!

    • Folha Dirigida disse:

      Olá, Leonardo. Tudo bem? Que bom que gostou do conteúdo! Acompanha aqui e a gente que sempre vamos trazer dicas de estudos e preparação para concursos públicos. Abraços, Blog Folha Dirigida! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *