fbpx

Regras de ouro para a redação do Cebraspe

A antiga banca Cespe/UnB costuma ser o terror de muitos candidatos a concursos públicos. As provas costumam ter questões de Certo ou Errado e a cada questão errada, uma certa é anulada. Mas e a redação do Cebraspe?

Para alguns cargos ainda há a prova discursiva. Não precisa se preocupar, futuro servidor, que nós preparamos para você um guia especial para fazer a redação do Cebraspe.

As dicas são da professora Vivian Barros, especialista em redação para concursos públicos, que compartilha dicas no Gabaritando Provas Discursivas da Folha Dirigida.

Por que o Cebraspe é tão importante?

Muitos concursos grandes são organizados pela banca. Um exemplo mais recente é o concurso da Polícia Federal e da PRF em 2021.

Lembrando que o Cebraspe foi também responsável por grandes concursos, como os últimos da PF e da Polícia Rodoviária Federal, além do MPU.

Como funciona a redação do Cebraspe

A professora Vivian Barros explica que a redação do Cebraspe tem uma estrutura de prova discursiva o mais objetiva possível. A banca costuma apresentar a redação a partir de um texto motivador.

A redação do Cebraspe é dividida, segundo a professora, em:

– Texto motivador para inspirar o seu texto;
– Tema, que representa o que o examinador busca encontrar no seu texto;
– Itens, os tópicos para você abordar e que serão responsáveis pela sua pontuação.

A professora Vivian fala em vídeo especial como o Cebraspe corrige as provas discursivas e como fazer a redação.

Confira, a seguir, algumas regrinhas para seguir e ir bem na prova.

Como fazer a redação do Cebraspe

A estrutura da discursiva no Cebraspe é o mais objetiva possível, segundo a professora Vivian Barros (Imagem: Unsplash)

Regras de ouro para fazer a redação do Cebraspe

REGRA 1

Não fazer cópia dos trechos do texto motivador no seu texto. Como a professora explicou, a leitura de apoio é apenas para te inspirar.

Apenas cite algum trecho se esse for o comando da prova discursiva. Caso contrário, se não foi pedido, não cite.

REGRA 2

A banca costuma apresentar o tema geral e comandos específicos por itens. Essa topicalização deve ser seguida rigorosamente, na ordem proposta pela banca.

Ou seja, são os tópicos que devem ser abordados essencialmente em seu texto.

REGRA 3

O Cebraspe vai privilegiar o texto dissertativo expositivo e não o dissertativo argumentativo, em que você deve defender uma tese.

O dissertativo expositivo é um texto objetivo, em que o candidato deve demonstrar claramente o que o examinador pede, mostrando domínio do assunto.

Não use argumentos para convencer da sua tese, pois esse é outro modelo de texto.

REGRA 4

Observe que a estrutura da discursiva do Cebraspe é flexível, ou seja, não segue o padrão de uma redação: introdução, desenvolvimento e conclusão.

O que não pode faltar são os tópicos, mencionados na ordem em que a banca os apresenta.

REGRA 5

Invista no conteúdo, mantendo o aspecto formal do texto. É preciso respeitar as margens da folha de resposta. Cuidado também com as rasuras.

A professora sugere que os candidatos marquem o erro com um traço sutil sobre a palavra e não marcar um grande X ou rabiscar.

REGRA 6

Nunca dar título à redação, a não ser que a banca explicitamente oriente isso ou quando o comando vier no edital do concurso. Caso contrário, não dê título ao texto.

> 15 erros ao estudar para concurso público

REGRA 7

Mantenha-se atualizado e leia bastante. O Cebraspe gosta de cobrar temas atuais em suas provas discursivas.

REGRA 8

Evite estrangeirismo, palavras inadequadas ou metáforas, para você ter mais chances de receber a pontuação máxima no item de avaliação macroestrutural chamado Propriedade Vocabular.

REGRA 9

O Cebraspe costuma disponibilizar os padrões de resposta de provas discursivas passadas. Segundo Vivian Barros, são ótimas fontes de estudo para a sua discursiva.

GUIA COMPLETO: Como fazer redação para concurso?

Critérios avaliados na redação do Cebraspe

A avaliação de uma redação pelo Cebraspe se divide em duas grandes áreas: macro e microestruturais.

Aspectos macroestruturais

A área macroestrutural é subdividida em dois aspectos que os candidatos devem observar: apresentação e estrutura textual e desenvolvimento do tema.

Quando se fala em apresentação, a banca espera que o candidato desenvolva o texto com legibilidade. Ou seja, com respeito às margens e à estrutura textual.

Segundo a professora, quando o examinador fala em legibilidade, ele não quer a melhor caligrafia. Mas sim um texto compreensível. Em outras palavras, fácil de ler.

Quanto às margens, você deve mostrar que sabe as regras de parágrafo. E como fazer isso? Mantendo uma distância sensata em relação à margem do texto ao iniciar cada novo parágrafo.

Já a estrutura textual refere-se aos tópicos que o examinador propõe e espera que o candidato desenvolva-os.

É a organização das ideias em um texto estruturado e você não pode quebrar a ordem dos tópicos propostos. Essa é a estrutura que deve seguir no seu texto.

Por outro lado, é do desenvolvimento do tema que sai a maior parte da sua nota. Dessa forma, o candidato deve ter em mente que o aspecto macroestrutural é essencial e o conteúdo é muito importante.

Dicas para fazer uma boa redação em concursos

Aspectos microestruturais

Sobre os aspectos microestruturais, eles estão divididos em:

  • Grafia
  • Morfossintaxe
  • Propriedade vocabular

Em alguns casos, como foi na PRF em 2018, a parte de Pontuação pode aparecer separada. Caso não apareça, fica implícita que está inclusa em morfossintaxe. Nesse contexto, a maior preocupação dos candidatos deve ser a grafia e a morfossintaxe.

Por exemplo, um erro que, segundo Vivian Barros, pega muitos candidatos nas discursivas do Cebraspe é o emprego da vírgula.

Emprego da vírgula é um vilão, alerta.

A grande maioria dos candidatos derrapa nesse aspecto. Como resultado, pode render muitos pontos perdidos.

Outro erro comum são os acentos gráficos. Seja por pressa, por falta de revisão do texto ou por estar desacostumado a usar os acentos no dia a dia, enquanto manda mensagens, muitos candidatos acabam esquecendo de os utilizar.

11 erros para evitar na redação do Cebraspe

De antemão, a professora Vivian recomenda evitar na redação do Cebraspe:

  1. Uso excessivo do gerúndio
  2. Excesso de advérbios e adjetivos
  3. Metáforas
  4. Uso da palavra através (substituir por “por meio de” ou “pelo intermédio de”)
  5. Parágrafo frasal
  6. Neologismos
  7. Estrangeirismos (a não ser que não exista um equivalente em Português e sempre entre aspas)
  8. Consertar uma palavra tentando escrever a certa por cima. O correto é riscar a que está errada e escrever a versão corrigida ao lado
  9. Palavras inúteis, repetições desnecessárias e períodos longos
  10. Verbos auxiliares, em especial ser, ter e haver, pois tornam o texto cansativo
  11. Voz passiva

Apesar das Gramáticas indicarem que só é obrigatório o uso de vírgula quando o elemento deslocado em uma oração escrita na ordem indireta – por exemplo, um advérbio no início da frase – tem mais de três palavras, isso não vale no caso do Cebraspe.

Nesse sentido, a banca penaliza a palavra deslocada sem o uso de vírgula. Nesse contexto, o mais recomendado é escrever as orações em ordem direta (sujeito + verbo + complemento/advérbio).

Além disso, preocupe-se em redigir frases curtas, coesas e objetivas. Use palavras breves, de menor extensão.

Também nunca separe o sujeito do verbo com uma vírgula. Essas situações, nas palavras de Vivian Barros, estão relacionadas aos conhecimentos de sintaxe.

“Se você dominar as regras básicas, não vai fazer feio”, afirma a professora.

Dicas para ir bem na redação do Cebraspe

Outra recomendação importante é caprichar no uso de elementos coesivos, sempre diversificando. Alguns exemplos são:

  • Adição: e, nem, não só… mas também, tanto… como/quanto…
  • Adversidade: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto, não obstante, nada obstante, a despeito de, apesar de, sem embargo…
  • Alternância: ou, ou… ou, ora… ora, quer… quer, seja… seja, nem… nem…
  • Conclusão: logo, pois, portanto, por conseguinte, por isso, então, assim, consequentemente, dessa forma (maneira), desse modo, destarte, dessarte, por essa razão, por esse motivo, em vista disso, ora pois…
  • Explicação: porque, pois, porquanto…
  • Causa: porque, que, como, visto que, visto como, já que, uma vez que, desde que, dado que, pois, pois que, por isso que, porquanto…
  • Concessão: embora, ainda que, ainda quando, mesmo que, conquanto, posto que, posto, suposto, (se) bem que, sem que, nem que, que, apesar de que, por mais que, por menos que…

Exemplo de modelo para redação do Cebraspe

Apesar de não ser obrigatória, muitos futuros servidores não conseguem escrever o texto sem fazer uma introdução.

Se esse for o seu caso, a professora recomenda ser o mais econômico possível. Portanto, ela aconselha usar entre duas e três linhas.

Como sugestão, Vivian Barros deixa o seguinte modelo de introdução à redação do Cebraspe:

Ao se discorrer sobre (tema geral), faz-se mister abordar aspecto 1, aspecto 2 e aspecto 3.

Já para os outros parágrafos:

  • No que tange ao aspecto 1 ou inicialmente
  • No que tange ao aspecto 2 ou outrossim
  • Por fim, aspecto 3

Lembrando que o título não é obrigatório. A não ser que conste no edital, o enunciado peça e/ou que a banca deixe um espaço, como uma linha menor centralizada no início da folha, reservada para ele.

Em conclusão, a professora Vivian deixa como incentivo: “não existe sucesso sem comprometimento. Caminhando, vamos rumo à aprovação.”

Folha Cursos

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Patrícia disse:

    Meus parabéns, o texto trouxe uma orientação completa. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *