fbpx

Guia de Direitos Humanos para concurso

Você sabia que, se deseja ingressar na área Policial, precisa estudar Direitos Humanos para concurso? Essa é uma das matérias mais comuns em concursos da Segurança Pública.

“A partir de 2014, o conteúdo passou a ser cobrado em quase todas as provas de carreiras policiais”, afirma o professor Flávio Paneque, da Folha Cursos. “A banca Cebraspe se destaca como pioneira nessa tendência.”

O professor ainda destaca: em uma prova de 120 questões, a banca cobra entre quatro e oito só da matéria.

Justamente pensando em quem precisa estudar Direitos Humanos para concurso, elaboramos este guia para ajudar em um primeiro momento na sua preparação.

Mas lembre-se de sempre ler o edital. Apenas ele poderá dizer exatamente o que cairá na sua prova.

direitos humanos para concurso

Se você deseja se tornar um policial, não pode deixar de estudar Direitos Humanos para concurso (Foto: Freepik)

Quais concursos cobram Direitos Humanos?

Primeiramente, os principais concursos que cobram Direitos Humanos são os das carreiras policiais.

No entanto, provas para cargos jurídicos, como magistratura, procuradoria, Defensoria Pública, Ministério Público e Advocacia Geral da União também podem exigir a disciplina.

“Lembrando que, apesar dessa matéria ser objeto de prova em questões objetivas, é bastante comum que concursos que têm prova de redação indiquem temas ligados a esse assunto”, ressalta o professor Flávio.

O que estudar em Direitos Humanos para concurso?

Segundo o professor, em geral, os editais têm assuntos bem diferentes cobrados na mesma proporção nas provas.

Por exemplo, um edital básico de Direitos Humanos para concurso têm conteúdos como:

  • Teoria geral dos Direitos Humanos (conceitos, terminologia, estrutura normativa, fundamentação)
  • Afirmação histórica dos Direitos Humanos
  • Direitos Humanos e responsabilidade do Estado
  • Direitos Humanos na Constituição Federal
  • Política Nacional de Direitos Humanos
  • A Constituição brasileira e os tratados internacionais de Direitos Humanos

No caso da banca Cebraspe, que é a quem mais cobra a disciplina, Flávio Paneque afirma que o assunto que mais aparece é Política Nacional dos Direitos Humanos.

“Tem sido o mais pedido, com quase o dobro de questões em relação aos demais temas. Por esse motivo recomendo uma atenção especial a esse assunto”, especifica o professor.

Em sequência, ele aconselha estudar com mais afinco a Afirmação ;histórica dos Direitos Humanos, seguida pela Teoria Geral. Ela trata da fundamentação, conceitos e terminologia.

Temas como Direitos Humanos e Responsabilidade Civil do Estado, Tratados de Direitos Humanos, sua relação com a Constituição Federal e as regras de incorporação de tratados também são assuntos pedidos em provas.

Portanto, estudá-los pode ajudar a faturar mais algumas questões.

Em média, caem entre cinco e dez questões da disciplina, com uma média geral de seis ao todo para uma prova de 120 questões do Cebraspe. Em suma, acertá-las pode ser o grande diferencial na sua aprovação.

Como estudar Direitos Humanos para concurso?

O professor lembra que, assim como em qualquer outra disciplina, quando falamos em Direitos Humanos para concurso, estudar de determinada forma pode garantir um resultado melhor.

Por isso, ele separou cinco regrinhas para ajudar a gabaritar a prova!

Tenha disciplina

Separe um cantinho tranquilo para estudar e fuja das distrações. Crie um cronograma de estudos, organize seu tempo e estabeleça metas.

Por exemplo, estudar um tratado por dia, fazer seu resumo e as questões correspondentes.

Matricule-se em um curso preparatório

Independentemente de ser presencial ou online, frequentar um curso sério, ministrado por professores experientes, seguramente irá otimizar seus estudos e diminuir, em muito, o seu tempo de preparo.

Em outras palavras, ter ajuda de especialistas tornará os seus estudos ainda mais produtivos.

Estude somente o necessário

Tenha atenção com os materiais didáticos e cuidado com PDFs muito extensos.

“Vários sites da internet e cursos oferecem um conjunto de materiais pouco objetivos, muitas vezes com um volume gigantesco e informações desnecessárias”, lembra o professor.

Não deixe se impressionar pelo tamanho e tenha foco. Separe seu material didático por assuntos e use como referência provas anteriores. Selecione os conteúdos principais, organizando-os por importância e estude nessa ordem.

Não tente esgotar todo assunto de uma única vez

Primeiro, trace um panorama geral de cada assunto, fazendo um levantamento dos principais tópicos de cada tema, criando esquemas e quadros sinópticos.

Depois de fixada as informações principais, retome cada assunto estudado e vá acrescentando mais informações aos poucos.

Crie uma linha do tempo e organize pela ordem cronológica os principais eventos históricos associando cada um deles a um documento ou tratado de Direitos Humanos.

Resolva muitos exercícios

Nada melhor do que resolver questões anteriores para ajudar na sua aprovação.

Por isso, faça uma busca na internet em plataformas especializadas sobre concursos que tenham essa disciplina e foram organizados pela mesma banca que efetuará a sua prova.

Importante selecionar não só o assunto, mas a banca também, pois de uma para outra, a abordagem do mesmo assunto pode mudar significativamente.

Resolva todas as provas que puder. E, lembre-se: a excelência vem somente com a prática!

Agora que você tem todas as dicas para estudar Direitos Humanos em mãos, vamos começar os estudos?

Estude com a Folha Cursos

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *